Portuguese
.

Os nossos maiores aliados no longo prazo

O tempo é um grande aliado, mas sem a disciplina da análise contínua de riscos, seguindo fielmente nossos processos, e a análise contínua e aprofundada dos cenários, estaremos fora do jogo e não conseguiremos gerar desempenho, e a longo prazo é isso que faz a diferença.

Os nossos maiores aliados no longo prazo (Alberto López Palacios / Twenty20)

Repetidamente dizemos que a gestão de riscos é a essência da gestão de recursos. Neste jogo de repetição, a disciplina de gerenciamento é fundamental para a sobrevivência. Como nosso negócio é repetir incansavelmente os processos que estamos aperfeiçoando, replicar estratégias com inteligência analítica e debate intelectualmente honesto de forma disciplinada, uma condição fundamental desse trabalho é repetir essa dinâmica por todos os dias, meses e anos.

Para isso, evitar o risco de falência ou perda temporária é a chave para permanecer no jogo todos os dias e entregar retornos consistentes. O tempo é um grande aliado, mas sem a disciplina da análise contínua de riscos, seguindo fielmente nossos processos, e a análise contínua e aprofundada dos cenários, estaremos fora do jogo e não conseguiremos gerar desempenho, e a longo prazo é isso que faz a diferença.

Os juros compostos são, sim, uma grandiosa maravilha. Mas para torná-los realidade, precisamos de disciplina em nossa análise de risco. Nossa filosofia de investimento sustenta que processos repetitivos e disciplinados aliados à inteligência produzem retornos com risco favorável e, ao longo do tempo, esses altos retornos são incomparáveis ​​no longo prazo. Nessa direção, a ideia de Aristóteles de que “somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito” se encaixa perfeitamente com nossas crenças.

Sobre o tema dos juros compostos, o livro Why Smart People Make Big Money Mistakes – and How to Correct Them (“Por que pessoas inteligentes cometem grandes erros financeiros — e como corrigi-los”, em livre tradução) tem um exemplo famoso que merece destaque. Dois irmãos gêmeos, John e Jill, são poupadores, mas começam a poupar a mesma quantia em momentos diferentes de suas vidas, investindo no mesmo fundo de investimento, mas por anos diferentes.

Jill começou a economizar depois de conseguir seu primeiro emprego aos 21 anos. Quando ele se casou e parou de economizar aos 29 anos, ele economizou US$50 por mês durante 8 anos. Jill contribuiu com um total de US$4.800 para o investimento, investindo no fundo todos os meses a uma taxa de retorno anual de 10%. John, por outro lado, não economizou os mesmos US$50 por mês até os 29 anos. Mas ele economizou por muito mais tempo, economizando por 37 anos até se aposentar também aos 65. Durante este período, ele contribuiu com um total de US$22.200.

Quando ambos se aposentarem aos 65 anos, qual dos dois terá a maior riqueza no fundo?

Este é o viés de grandes números. Devido a um equívoco comum, valorizamos mais os números grandes e esquecemos os pequenos, que podem ser mais importantes quando acumulados por um longo período de tempo. Este é o efeito Starbucks. Custos de corretagem ou custos de café que se acumulam diariamente ao longo de muitos anos podem afetar significativamente seus ativos.

Somos o que repetidamente fazemos. A excelência, portanto, não é um feito, mas um hábito.

Aristóteles

Por conta desse viés, a grande maioria acredita que como John tem mais tempo e, portanto, mais recursos, ele encerra o período com mais reservas investidas no fundo. No entanto, na aposentadoria, Jill economizou US$256.650, enquanto John economizou US$217.830. Muitas vezes subestimamos as maravilhas dos retornos que se originam dos juros compostos e o poder dos pequenos números.

Juros sobre juros e pequenos custos de longo prazo ao longo do tempo têm um enorme impacto no patrimônio líquido.

Jill estava economizando menos, mas começou a economizar e investir seus recursos mais cedo. Além de investir em fundos estáveis ​​e com bom desempenho, o fundo também sabe como evitar perdas permanentes ao longo do tempo. O que cabe para ambos, mas Jill se beneficiou mais porque começou a fazer esse bom investimento cedo. Tudo isso teve um impacto. Nesse sentido, o tempo pode ser um grande aliado, mas também pode ser um inimigo se não tivermos consciência de seu real poder.

Em teoria, isso parece simples, mas na prática não é tão simples quanto parece. Fácil dizer, difícil de fazer.

Esse treinamento diário de seguir repetidamente processos, ignorar modismos, desviar de preconceitos, evitar pequenos custos e não se deixar levar pela excitação ou pessimismo da multidão exige muita fé na estratégia que você segue.

Resumindo e citando uma passagem de “The Psychology of Money“, de Morgan Hauser,todos os empregos parecem fáceis se você não está desempenhando essa função, porque os desafios enfrentados por quem está na arena geralmente são invisíveis para quem está na plateia. Né?


Acompanhe o Mercado

Sua Jornada Investidora

Receba nossas notícias

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro? Receba gratuitamente, de segunda a sexta, as principais notícias e análises no seu email.




    Compartilhe do jeito correto. Selecione a rede social desejada e envie esta matéria gratuitamente.