Portuguese
.

IPCA-15: Prévia da inflação oficial é de 0,69% em junho

Índice avançou acima do esperado pelo mercado

IPCA-15: Prévia da inflação oficial é de 0,69% em junho (FabrikaPhoto/Envato)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, teve alta de preços de 0,69% em junho deste ano, segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio acima do esperado pelo mercado, que esperava uma inflação de 0,62% no mês.

O percentual é maior que o de maio (0,59%), mas menor que o de junho de 2021 (0,83%). Com o resultado, o IPCA-15 acumula 5,65% no ano e 3,04% no trimestre. No acumulado de 12 meses, o IPCA-15 é de 12,04%, abaixo dos 12,20% acumulados na prévia de maio.

Na prévia de junho, todos os grupos de despesas tiveram inflação, com destaque para os transportes (0,84%) e saúde e cuidados pessoais (1,27%). Também se destacaram os grupos habitação (0,66%) e vestuário (1,77%). Um dos principais responsáveis pela inflação na prévia de junho foi o reajuste de 15,50% dos planos de saúde, autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) em 26 de maio.

Entre os transportes, os principais responsáveis pela alta de preços foram itens como óleo diesel (2,83%), passagens aéreas (11,36%) e seguro voluntário de veículos (4,30%). Ao mesmo tempo, houve quedas nos preços do etanol (-4,41%) e da gasolina (-0,27%). Vale ressaltar que o IPCA-15 de junho leva em conta os preços coletados entre 14 de maio e 13 de junho, ou seja, a nova alta dos combustíveis ainda não afetou o índice neste mês.

Na habitação, houve altas nos custos da água e esgoto (4,29%) e no gás encanado (2,04%).Os alimentos tiveram redução no ritmo de aumento de preços de maio para junho, ao passar de uma taxa de 1,52% na prévia de maio para 0,25% em junho. O comportamento foi influenciado pelos alimentos para consumo no domicílio, que saíram de uma inflação de 1,71% no mês anterior para 0,08% na prévia de junho.

O leite longa vida, que havia subido 7,99% na prévia anterior, registrou 3,45% em junho. Também foram observadas quedas de preços em produtos como cenoura (-27,52%) e tomate (-12,76%).

Quanto às regiões, todas as áreas pesquisadas tiveram alta em junho. A maior variação ocorreu em Salvador (1,16%), especialmente por conta da gasolina (4,25%) e do reajuste de 20,97% nas tarifas de energia elétrica (3,72%). O menor resultado foi verificado em Belém (0,18%), onde houve queda nos preços do açaí (-8,08%) e da gasolina (-1,70%).

com informações da Agência Brasil e do IBGE


Acompanhe o Mercado

Sua Jornada Investidora

Receba nossas notícias

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro? Receba gratuitamente, de segunda a sexta, as principais notícias e análises no seu email.




    Compartilhe do jeito correto. Selecione a rede social desejada e envie esta matéria gratuitamente.