Portuguese
.

Ibovespa opera em queda no 1º pregão após Copom

Divulgação dos dados da produção industrial norte-americana é o destaque do dia

Ibovespa opera em queda no 1º pregão após Copom

A agenda desta sexta-feira (17) tem como principal destaque a divulgação dos dados de produção industrial de maio nos Estados Unidos. No cenário nacional, investidores acompanham de perto a Petrobras, que pode anunciar ainda hoje um aumento nos preços. O mercado segue reagindo ao aperto das políticas monetárias dos principais bancos centrais no mundo. Na quarta-feira, Brasil e Estados Unidos divulgaram alta na taxa básica de juros.

Brasil

O Ibovespa operava em forte queda durante a manhã, recuando -2,31% aos 100.430 pontos às 10h19. Todas as ações do pregão estavam no campo negativo. O pregão de hoje é marcado pelo vencimento de opções de ações, o que trará ainda mais volatilidade para o mercado. Além disso, o possível aumento dos preços da Petrobras (PETR3; PETR4) pode agitar o dia.

No setor de commodities, o petróleo operava em queda. O Brent caía -1,27% a US$ 118,29, enquanto o WTI recuava -1,54% a US$ 115,78. O minério de ferro, em Qingdao, teve uma forte baixa, desvalorizando -5,76% a US$ 121,56.

Internacional

Na Ásia, as principais bolsas do continente fecharam sem uma direção única enquanto as preocupações com uma recessão econômica e alta inflacionária pressionam os índices, ao mesmo tempo que na China a perspectiva de novos estímulos econômicos para proteger os mercados locais animou alguns investidores. Em Hong Kong, o Hang Seng subiu 1,10%, seguido pelo Xangai Composto, na China continental, que avançou 0,96%. Em Tóquio, o Nikkei caiu -1,77%, enquanto o Taiex, em Taiwan, recuou -1,25%. O Kospi, em Seul, desvalorizou -0,43%.

Na Europa, os principais índices operam em alta durante a manhã. Ontem, o Banco Central da Inglaterra (BoE) elevou sua taxa de juros para 1,25%, o maior nível desde 2009. Por volta das 10h15 (horário de Brasília), o Euro Stoxx subia 0,50%, seguido pelo CAC 40, na França, que tinha alta de 0,53%. Na Alemanha, o DAX valorizava 0,52%, enquanto o FTSE, no Reino Unido, avançava 0,53%.

Nos Estados Unidos, Wall Street abriu sem um sentido único à medida que os investidores ainda digerem a nova alta de juros e temem uma recessão. O S&P 500 recuava -0,11%, enquanto o Nasqad subia 0,58%. O Dow Jones tinha baixa de -0,31%. O dólar seguia valorizando 2,23% a R$ 5,13.


Acompanhe o Mercado

Sua Jornada Investidora

Receba nossas notícias

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro? Receba gratuitamente, de segunda a sexta, as principais notícias e análises no seu email.




    Compartilhe do jeito correto. Selecione a rede social desejada e envie esta matéria gratuitamente.