Portuguese
.

Conflito entre Rússia e Ucrânia entra no 21º dia; confira as últimas notícias

Países se encontram novamente hoje para seguir com negociações

Conflito entre Rússia e Ucrânia entra no 21º dia; confira as últimas notícias (Twitter/Serviço de Segurança da Ucrânia)

Zelensky fala no Congresso americano
O presidente da Ucrânia fez um pronunciamento hoje no Congresso dos Estados Unidos e pediu mais ajuda militar para proteger a Ucrânia dos russos, além de reforçar o pedido de uma zona de exclusão aérea. Zelensky também pediu a criação de uma nova aliança de países, afirmando que as instituições criadas pós-Segunda Guerra Mundial já não são suficientes. Por fim, o presidente ucraniano pediu mais sanções à Rússia.

Rússia diz que há “esperança de acordo”
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse à agência de notícias RBC que as negociações não estão sendo fáceis e estão caminhando lentamente, mas que há esperança de chegar a um acordo com a Ucrânia. Segundo Lavror, alguns termos de acordo estão perto de serem firmados e que também está sendo discutido o “uso da língua russa na Ucrânia e a liberdade de expressão”.

França pede que forças armadas projetam jornalistas
O chefe de diplomacia da França, Jean-Yves Le Drian, fez um pedido para que as forças armadas protejam os profissionais da imprensa que estão cobrindo o conflito na Ucrânia. “Recordo a obrigação para as Forças Armadas de proteger os jornalistas, de acordo com o direito internacional humanitário, e condeno com a maior veemência qualquer ação contra eles”, disse. Ao menos cinco jornalistas já foram mortos durante a guerra.

Rússia aceitaria um exército ucraniano “neutro”
O governo russo confirmou nesta quarta (16) que estuda a possibilidade de aceitar um acordo com a Ucrânia que determine que o país tenha seu exército, desde que eles atuem apenas dentro das fronteiras do país. Ou seja, o exército seria desmilitarizado é teria função de proteger a população e os direitos ucranianos, parecido com o que já acontece na Áustria e Suécia. O secretário de Segurança da Rússia, Nikolai Patrushev, teria pedido aos Estados Unidos que pressionassem a Ucrânia para aceitar essa “saída diplomática” da guerra, segundo informou a agência russa Taas.


Acompanhe o Mercado

Sua Jornada Investidora

Receba nossas notícias

Quer ficar por dentro de tudo que acontece no mercado financeiro? Receba gratuitamente, de segunda a sexta, as principais notícias e análises no seu email.




    Compartilhe do jeito correto. Selecione a rede social desejada e envie esta matéria gratuitamente.